top
Brasil - Geologia, Recursos Minerais, Hídricos e Mineração <Home >

  Terra. A nave das naves. Nosso lar.   NOTÍCIAS & DESTAQUES

 
   
  08.12.2010 - Chuvas de verão, enchentes, alagamentos, escorregamentos, tragédias anunciadas ...
   

Novamente as chuvas serão as culpadas?

Veja aqui o que é necessário para resolvermos um grande problema que afeta
de maneira dolorosa uma boa parte da população brasileira por ocasião das chuvas de verão, tanto no campo como nas nossas grandes cidades..

De acordo com o geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos, nessa área " a maior dificuldade continua a residir na incapacidade das administrações públicas em ordenar corretamente a expansão urbana de suas cidades. Nesse mister é fundamental perceber que as populações mais pobres somente deixarão de optar por áreas de risco para instalar suas moradias quando o poder público, através de ousados Programas Habitacionais, lhes oferecer alternativas dignas e seguras de moradia na mesma faixa de custos que ela hoje só encontra na ocupação das áreas de risco. Essa é a verdade nua e crua da questão. Ou essa equação básica é resolvida ou a instalação de novas situações de risco sempre superarão em muito o esforço em desarmar as já instaladas."

Clique aqui para conhecer por inteiro a opinião do geólogo Álvaro Santos.

 

 
  Fatos Relevantes - 04/07/2008

MMX MINER (MMXM-NM)

DRI: Nelson José Guitti Guimarães

Fato Relevante

A Empresa enviou o seguinte fato relevante: a MMX Mineração e Metálicos S.A. MMX ou a Companhia) (MMXM3: BOVESPA; XMM: TSX), em atendimento ao disposto no artigo 157 da Lei. 6.404/76, bem como ao que prevê a Instrução CVM 358/02, comunicou ao mercado o que segue: a Companhia, por meio de uma subsidiária da MMX Sudeste Ltda., AVG Mineração S.A. (AVG), celebrou com LGA – Mineração e Siderurgia Ltda (LGA) os termos e condições de negócio jurídico (o Contrato) referente à compra de um direito minerário de titularidade da LGA, localizado numa área de 755,65 hectares no Município de Bom Sucesso, estado de Minas Gerais (o Direito Minerário ou a Mina de Bom Sucesso). O Direito Minerário está localizado a 200 km de Belo Horizonte e a 250 km do Porto LLX Sudeste, estando a cerca de 40 km de distância da ferrovia operada pela MRS. Pela aquisição do Direito Minerário, a AVG pagará à LGA valor equivalente a US$ 193.300.109,60, em quatro parcelas, vencendo a última em 5/1/2010. Desembolsos complementares poderão ser realizados a depender dos resultados das sondagens que serão realizadas no âmbito de um programa de pesquisa geológica que a Companhia executará na área do Direito Minerário no prazo de ate 18 meses. Dessa forma, na hipótese de o volume de recursos minerais, nas condições especificadas no Contrato, ser superior a 241,6 milhões de toneladas, a AVG pagará à LGA um preço de US$ 0,80 por cada tonelada adicional medida. A Companhia iniciará, concomitantemente à campanha de sondagem, estudos de engenharia para determinar o montante de investimento necessário para o desenvolvimento da Mina de Bom Sucesso, e prevê o início das operações em 2012 com uma produção potencial estimada de até 10 milhões de toneladas anuais de minério de ferro de alta qualidade, a ser destinado ao mercado de exportação. A MMX pretende escoar a produção proveniente da Mina de Bom Sucesso por ferrovia até o Porto LLX Sudeste, no estado do Rio de Janeiro. Com a concretização do negócio em questão, que deverá ser concluído até o dia 7 de julho de 2008, o Sistema MMX Sudeste passará a ser composto pela Unidade de Serra Azul – composta pelas minas da AVG e Minerminas - e pela Mina de Bom Sucesso, e poderá atingir uma capacidade de 25 a 30 milhões de toneladas anuais de minério de ferro de alta qualidade a partir de 2012.

 
  MMX anuncia compra da Mina de Bom Sucesso

(02/07/2008 - 09:36)

Um ano depois de adquirir o controle total da AVG, que tem como principal ativo as minas de Serra Azul, em Minas Gerais, a MMX Mineração, do grupo de Eike Batista, anunciou hoje a compra, por US$ 193,3 milhões, da Mina de Bom Sucesso, de propriedade da LGA Mineração e Siderurgia. Estendendo-se por uma área de 7,5 milhões de metros quadrados, a mina é vizinha ao complexo de Serra Azul, que custou ao grupo de Eike US$ 224 milhões, em julho do ano passado.

O modelo de aquisição é o mesmo: pagamento parcelado e previsão de um adicional, caso o volume de minério supere o teto previsto nas sondagens, o que no caso de Bom Sucesso é de 241,6 milhões de toneladas. O pagamento da última das quatro parcelas está previsto para outubro de 2010.

Bom Sucesso tem início de operação estimado para 2012, com produção potencial de até 10 milhões de toneladas anuais de minério de ferro de alta qualidade, a ser destinado ao mercado de exportação. "A MMX pretende escoar a produção proveniente da Mina de Bom Sucesso por ferrovia até o Porto LLX Sudeste, no Rio de Janeiro", informa o comunicado da companhia.

Os resultados das sondagens, no programa de pesquisa geológica, estarão concluídos em 18 meses. Paralelamente, serão feitos estudos de engenharia para determinar o montante de investimento para o desenvolvimento da mina, localizada a 200 quilômetros de Belo Horizonte, a 250 quilômetros do Porto da LLX e a 40 quilômetros de distância da ferrovia operada pela MRS.

A Tarde Online

 
   O CETEM - Centro de Tecnologia Mineral do Ministério da Ciência e Tecnologia lançou recentemente o livro Tendências Tecnológicas Brasil 2015 que merece e precisa ser avaliado e discutido por toda a comunidade do Setor Mineral Brasileiro. Para facilitar o acesso à publicação, o livro, também editado pelo CETEM no formato <pdf>, pode ser baixado gratuitamente numa das páginas do site do Órgão. Nessa página, além do livro recentemente lançado, existem outros igualmente interessantes e úteis que  também podem ser baixados livremente. Vale a pena conferir!

  Livros sobre Tecnologia Mineral e Geociências - download gratuíto

 

 
  I E tapa do Levantamento Aerogeofísico do Estado de Goiás

O Governo do Estado de Goiás através da Secretaria de Indútria e Comércio/Superintendência de Geologia e Mineração/FUNMINERAL, juntamente com o Governo Federal, através do Ministério de Minas e Energia, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, estão disponibilizando  gratuitamente, desde 17 de dezembro de 2007, todos os dados referentes a I Etapa do Levantamento Aerogeofísico do Estado de Goiás. Esta iniciativa faz parte da política de geração e disponibilização de informações das instituições responsáveis pela realização do referido levantamento, que definiram, após 3 anos de lançamento dos dados de cada etapa, sua disponibilização gratuita.

 
Os interessados deverão se cadastrar e assinar um termo de compromisso relativo a utilização dos dados e principalmente por não poderem ser comercializados.
 
O acesso aos dados pode ser realizado através da Internet (via downloads) e também através de DVDs. Os formatos oferecidos são diversos incluindo arquivos com o formato do GEOSOFT, o que permite amplas possibilidades de analise e interpretação.
 
Informações mais detalhadas sobre a utilização, inscrição e downloads poderão ser obtidos nestes endereços http://www.sic.goias.gov.br  e http://www.lapig.iesa.ufg.br/sgm/aerogeofisica.html .
 

  

Caso Imerys - poluição ambiental em mineração de caulim no estado do Pará.

Esclarecimento Caso Imerys

Caso Imerys perícia confirma contaminação

Diretoria da Imerys será indiciada por crime ambiental

Fonte: IBRAM

 
  Nota de falecimento:

08/03/2007 - É com grande pesar que nesta data, comunicamos o falecimento em Porto Alegre, de Arthur Schulz Júnior, geólogo da Fundação Estadual de Proteção Ambiental - FEPAM do Estado do Rio Grande do Sul.

Natural de Barra do Ribeiro (RS), Arthur Schulz Júnior diplomou-se pela Escola de Geologia da UFRGS em 1969. Iniciou sua carreira de geólogo no 1º Distrito do Departamento Nacional da Produção Mineral, onde realizou trabalhos de mapeamento geológico no estado de Santa Catarina. Com a criação da CPRM, a partir de 1970, passou a integrar o quadro de geólogos da Agência da CPRM em Porto Alegre, onde foi Coordenador de Recursos Minerais até o inicio do ano de 1971, quando então, passou a exercer o cargo de Superintendente Regional da CPRM em  Salvador, Bahia.  Em 1981, transferiu-se para o escritório da CPRM no Rio de Janeiro, onde ocupou várias e importantes posições técnico-gerenciais: Assistente do Superintendente de Relações Comerciais; Chefe do Serviço de Comércio Exterior; Superintendente Adjunto de Relações Comerciais; Superintendente de Administração de Contratos Técnicos; Chefe do Departamento de Pesquisa e Economia Mineral; Assessor do diretor de Geologia e Recursos Minerais; Ouvidor da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais. Chefiou várias missões oficiais da CPRM,  viajando a mais de trinta países da África e das Américas.

 Entre 1988 e 1990, licenciou-se da CPRM, quando então ocupou o cargo de diretor de
Operações da Encal e de conselheiro do Grupo Texbra, conglomerado de empresas que se dedicam a execução de serviços de  aerolevantamentos, geofísica marinha e desenvolvimento de hardware e software.

 No ano 2000, desejando voltar para perto de sua família e de sua terra natal, solicitou transferência para a Superintendência Regional de Porto Alegre, onde, em 2001, aposentou-se e deixou a CPRM. Embora já aposentado, prestou concurso e ingressou na Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental) onde vinha trabalhando.

 Apesar de progressivamente debilitado pelo câncer nos últimos anos, manteve-se ativo até o final de sua vida, numa elogiável demonstração de profissionalismo, de amor ao trabalho e a sua profissão de Geólogo.

 Arthur Schulz Júnior tinha 64 anos e era filho de Arthur Schulz e Aureliana F. Schulz. Foi casado com Teresinha Schulz, tendo com ela a filha Walkíria Schulz, atualmente residente na Argentina.

Salvador, 20/08/1981 - Geólogo Arthur Schulz Júnior  


 




 
  •  DNPM lança o Formulário de Pré-Requerimento Eletrônico no
     XI Congresso Brasileiro de Mineração – EXPOSIBRAM 2005

"Com a presença Diretor-Geral do DNPM, Dr. Miguel Nery, que dirigiu a solenidade, o DNPM fez, às 18 horas do dia 21 de setembro, o lançamento do Formulário Eletrônico de Pré-Requerimento de Direitos Minerários, no estande Pavilhão Geologia e Mineração (estande conjunto DNPM, CPRM e Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral) instalado na EXPOSIBRAM 2005.

Após a implantação deste formulário eletrônico de pré-Requerimentos, o interessado efetuará o preenchimento prévio do requerimento pela internet, e o enviará para a base do DNPM em arquivo criptografado, com sigilo absoluto, sendo gerado automaticamente para o requerente um código alfa-numérico. Com essa operação é gerada a impressão do formulário de requerimento para posterior entrada no protocolo do distrito correspondente. Tal arquivo fica inativo e inacessível nas bases do DNPM, por um período de trinta dias, sem marcar prioridade, só sendo recuperado nos protocolos do DNPM, no ato em que o interessado apresentar o referido código alfa-numérico e demais documentos em meio impresso relativo à área a ser requerida.

Esta medida se faz necessária para evitar que a base do DNPM volte a ser contaminada, como o era até recentemente. Todo o controle de áreas do DNPM encontra-se em processo de depuração de processos inativos, alguns dos quais constavam na base como se estivessem ativos, além de outros problemas que criavam inconsistências nas informações, causando insegurança nos atos de outorgas minerais.

Para a implantação do formulário eletrônico, não será necessária qualquer mudança no Código de Mineração. Este sistema é mais um passo, com vistas à implantação futura da outorga on line em tempo real, a qual, esta sim envolverá mudanças legais a serem, oportunamente, anunciadas pelo governo.

Na ocasião, o Diretor-Geral do DNPM participou, ainda, da mesa diretora da solenidade de abertura do 11º Congresso Brasileiro de Mineração – EXPOSIBRAM 2005, que ocorre na cidade de Belo Horizonte no período de 20 a 24 de setembro do corrente. A solenidade contou com a presença do Secretário Executivo do Ministério de Minas e Energia, Dr. Nelson Hubner, que na oportunidade representava o Ministro Silas Rondeau, além de outras autoridades. O Congresso Brasileiro de Mineração é um dos mais importantes eventos da mineração brasileira, conta com cerca de 2.000 inscrições e mais de 10 mil visitantes. Na Exposição estão instalados 370 estandes, sendo 265 brasileiros e 86 estrangeiros, que vêm demonstrar seus produtos e serviços para mineração, perfazendo uma área de mais de 11 mil m². Dentre os estrangeiros podemos destacar o Canadá com 16 estandes; Alemanha (15) Estados Unidos (14), Chile (11); África do Sul (9); Austrália (5), dentre outros. A forte presença de representantes estrangeiros no evento demonstra a confiabilidade e a credibilidade do Brasil perante o resto do mundo. No dia 21, o Diretor-Geral participou também do lançamento da Carta ao Milionésimo, trabalho este executado pela CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Durante a solenidade recebeu uma placa comemorativa a tão importante foto para a geologia nacional."

Fonte: Assessoria de Comunicação do DNPM
 

 


 

 
  • Novo levantamento aerogeofísico na Bahia

    Segundo informações divulgadas no site da Companhia Bahiana de Pesquisa Mineral (CBPM), o Ministério de Minas e Energia através da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, e o governo do Estado da Bahia, através da SICM – Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração e da CBPM – Companhia Baiana de Pesquisa Mineral, assinaram convênio para a realização de um projeto de levantamento aeromagnetométrico e aerogamaespectrométrico, a ser realizado na região balizada pelas cidades de Campo Alegre de Lourdes ao norte e Mortugaba ao sul, abrangendo uma área de 71.513,10 km² de extensão.

    A área abrangida pelo projeto compreende sequências de rochas antigas - arqueanas e paleoproterozóicas - situadas em sua maior parte no contexto do Aulacógeno do Paramirim, onde são conhecidos corpos intrusivos portadores de mineralizações de diamante, como os kimberlitos recentemente descobertos na região de Ipupiara-Gentio do Ouro; de fosfato (em produção), associado ao complexo carbonatítico de Angico dos Dias; de Fe-Ti-V, associado ao complexo máfico-ultramáfico de Campo Alegre de Lourdes e de Urânio (em produção, mina de Lagoa Real), associados aos albititos de Lagoa Real. Nesta área, são também conhecidas faixas de rochas vulcanossedimentares portadoras de mineralizações de chumbo, ferro, ouro e manganês, cortadas em vários locais por veios de quartzo e de barita.

    A realização deste levantamento aerogeofísico é oportuna, pois certamente produzirá  dados e informações que irão propiciar a descoberta de novos jazimentos minerais no Estado da Bahia e, além disso, constituirão também um importante apoio às pesquisas de ferro que se desenvolvem na região.

    A área do projeto e informações oficiais mais detalhadas sobre o mesmo poderão ser obtidas no site da CBPM - Companhia Bahiana de Pesquisa Mineral.

    Deve-se ressaltar que na década de 70, o 7º Distrito Bahia do Departamento Nacional da Produção Mineral  realizou na região de Urandi, situada na porção sul da área que será estudada pelo convênio acima mencionado, um levantamento aerogeofísico com helicoptero equipado com magnetômetro, gamaespectrômetro, VLF e eletromagnetômetro. Este levantamento, executado pela equipe técnica do  Centro de Geofísica Aplicada do DNPM apresentou resultados  auspiciosos, destacando-se, entre eles, a descoberta do urânio de Lagoa Real, atualmente em lavra pela empresa INB - Indústrias Nucleares do Brasil.

 

 

 

 

 

 
  • LANÇAMENTO DE UM NOVO LIVRO DE GEOLOGIA

    O livro Geologia do Continente Sul-Americano: Evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida, considerado um marco na literatura geológica brasileira, será lançado em Salvador (BA), no dia 16 de agosto de 2005, durante as cerimônias de abertura do III Simpósio Nacional sobre o Cráton de São Francisco. Clique aqui para mais detalhes.

 

 
 

  • Clique aaui para conhecer a Excursão virtual aos Aparados da Serra - RS preparada por técnicos do Serviço Geológico do Brasil. O roteiro desta nova excursão virtual, contempla com detalhes uma das mais belas regiões do Brasil, cujos aspectos turísticos, geomorfológicos e geológicos estão muito bem descritos e integrados, o que de imediato a classifica como um documento de consulta obrigatória a quem quiser conhecer com maiores detalhes as belezas naturais dos Aparados da Serra.
     


     

  • O Serviço Geológico do Brasil está disponibilizando  no seu site  o Léxico Estratigráfico do Brasil, um novo tipo de serviço que certamente concorrerá para a popularização do seu uso no Brasil e também para a construção da Nomenclatura Estratigráfica do território nacional. O sistema de consultas online disponível é simples e eficiente, o que facilita aos usuários um acesso rápido aos verbetes de interesse. Para conhecer e consultar o Léxico Estratigráfico do Brasil clique aqui.
     


     

  • De  Beers  vende tudo e inicia o fechamento do escritório

    A De Beers, o maior grupo de diamantes do mundo está, finalmente, fechando as portas no Brasil.

    É mais uma major que se afasta. No caso da De Beers, representada pela Sopemi, são décadas de exploração para diamantes em todo o Brasil. A empresa descobriu a maioria dos aluviôes diamantíferos de Juína, Roosevelt e literalmente milhares de kimberlitos. Muitos dos quais serão lavrados no futuro.
    A visão é triste. Seus funcionários foram demitidos, equipamentos vendidos e, agora, o seu incrível acervo de dados, o maior do Brasil, está sendo negociado.

    No nosso entender uma decisão precipitada que será revista ainda em um futuro próximo...

     Fonte: Geólogo.com.br / geogem mercados - 29/11/2004 16:21:00


     

  •  Brasil Terá Política de Distribuição de Imagens de Satélites - 01/03/2004

    O ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, recebeu na manhã de sexta-feira (27/02), a visita do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCT), Luiz Carlos Miranda, para tratar da definição da política de distribuição das imagens feitas pelo satélite sino-brasileiro de sensoriamento remoto, o CBERS 2.

    Em operação desde outubro de 2003, o CBERS 2 oferece imagens de altíssima qualidade, atendendo à maioria das exigências e necessidades dos usuários das imagens fornecidas pelos similares de outros países. Atualmente são quatro os satélites de sensoriamento em operação, sendo que o norte-americano Landsat deixará de operar este ano e o francês SPOT, em 2007.

    A política de distribuição apresentada ao ministro propõe a oferta gratuita das imagens para todos os usuários brasileiros, que inclui órgãos públicos, universidades, centros de pesquisa e ONGs, além da iniciativa privada. As imagens serão distribuídas pela página do INPE na Internet. Até então, as imagens usadas por essas instituições eram compradas.

    "A idéia é que as imagens sejam tratadas como um bem público. Deste modo, aumentaremos a competitividade das nossas empresas, dos nossos pesquisadores, do nosso país", avaliou o diretor do Instituto.
    Segundo Eduardo Campos, a iniciativa de distribuir as imagens sem custo é de grande importância não apenas para atender ao público que já faz uso esse tipo de recurso, mas também por promover a inclusão social e aproximar a sociedade do programa espacial.

    Qualquer professor de escolas de ensino médio poderá fazer uso dessa imagens em suas aulas sem ônus, num exemplo do benefício gerado até mesmo para aqueles que hoje não tem acesso aos produtos gerados pelo CBERS 2.

    A análise e manipulação das imagens pode ser feita com o software Spring, um programa de computador de uso público desenvolvido pelo INPE e que já é distribuído gratuitamente pela Internet.

    Futuramente serão definidas as políticas para distribuição das imagens para outros países, o que depende de negociação com o governo chinês, parceiro no projeto, e da aprovação do MCT. O CBERS 2 tem possibilidade de se firmar como uma das principais alternativas no mercado de sensoriamento remoto mundial, com imagens de qualidade e baixo custo.

    O projeto CBERS prevê o lançamento do satélite 3 em 2006 e do 4, em 2009. (MCT

 





02/08/2003
  •  OPORTUNO PROJETO DE LEI PARA SEGURANÇA DE BARRAGENS ESTÁ ESQUECENDO O FATOR GEOLÓGICO

    O Deputado federal Leonardo Monteiro(PT-MG), a propósito do grave recente acidente com o rompimento de uma barragem de rejeitos em seu estado, está com muita propriedade apresentando Projeto de Lei que pretende regulamentar os serviços necessários a dotar esse tipo de obra do nível de segurança adequado.

    No entanto, há necessidade de corrigir grave falha técnica apresentada pelo texto, e que se refere à não consideração dos fatores geológicos normalmente envolvidos na segurança de barragens, assim como da necessidade da participação obrigatória de geólogo nos serviços recomendados pelo projeto.

    A ABGE – Associação Brasileira de Geologia de Engenharia deverá encaminhar ao CBDB – Comitê Brasileiro de Barragens e também ao deputado proposta de texto com as modificações necessárias a sanar a falha apontada.

31/07/2003
  • IBGE e Embrapa lançaram hoje (31/7/2003), o novo mapa de solos do Brasil, editado na escala de 1:5.000.000. "O Mapa de Solos do Brasil identifica e cartografa os diferentes tipos de solos encontrados no Brasil. Reúne informações e conhecimentos produzidos ao longo de mais de 50 anos de ciência do solo no Brasil e utiliza pela primeira vez a nomenclatura e as especificações recomendadas pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Solos - SBCS da Embrapa (1999), reflexo do avançado estágio de conhecimento técnico-científico dos solos tropicais pela comunidade científica brasileira. Para sua elaboração, foram utilizados os levantamentos exploratórios de solos produzidos pelo Projeto RadamBrasil ao longo das décadas de 1970 e 1980, complementados por outros estudos mais detalhados de solos produzidos principalmente pela Embrapa e pelo IBGE."
24/07/03
  •  Aproveitando água doce de fonte submarina!
     
    A empresa Nymphea Water, especializada na pesquisa e aproveitamento de água doce proviniente de fontes submarinas,  de acordo com notícia transmitida pela Agência SAPO - Portugal Online, conseguiu hoje, extrair água doce de uma fonte situada a 36 metros de profundidade sob as águas do mar Mediterrâneo, na altura das cidades de Menton (sul da França) e Vintimille (Itália), o que constitui um "acontecimento sem precedentes", anunciou a sociedade encarregada do projeto, que também trabalha na Espanha. " A operação vai permitir obter até 100 litros por segundo e oferece uma grande perspectiva diante da escassez de água doce que muitos países sofrem".

23/07/03
  • O Paraense Online - A ameaça da radiotividade - Entrevista com a geofísica Lúcia Costa e Silva, onde se percebe que a acumulação natural de gás radônio em ambientes fechados é um assunto que merece a atenção de todos!

07/07/03
  • O Grupo Figueira da Glete comunica o falecimento do geólogo Jiro Maruo (USP - Turma de 1962), ocorrido  no dia 06 de julho de 2003. O velório foi realizado na Capela 9 do Memorial do Carmo, no Caju, cidade do Rio de Janeiro. A missa de 7º dia será realizada no próximo dia 12/07/2003 (sábado), às 10 horas, na Igreja dos Capuchinhos - Tijuca, RJ.

27/06/03
  •  Brucutu News informa - NASA: divulga imagem de radar da América do Sul. Vale a pena conhecer!

18/06/03
  • Congresso da SBG de 2004 será realizado em outubro de 2004 na cidade de Araxá - MG .

03/06/03


10/04/03

10/04/03

15/02/03  Falece em São Paulo, o professor aposentado do Instituto de Geociências da USP, Dr. Ruy Ozório de Freitas.

07/02/03  Geólogos investigam a guerra de Troia - BBC News - Science/Nature

30/01/03  Pluma de manto fóssil sob o Brasil

14/01/03  Guinada magnética "move" o Pólo Norte - (Estado de São Paulo)
col
15/09/02  Fóssil de pênis mais antigo é achado no Brasil

15/09/02  Pesquisa sugere que houve ligação entre Amazônia e mata atlântica

26/01/02 Caçadores de meteoritos encontram 5 novos espécimes vindos de Marte (CNN)

26/10/01  Dinossauros, parte da dieta de crocodilo:
Fóssil encontrado no Niger tinha 12 metros de comprimento e pesava 10 t


Retorna a página anterior


 
 
 
 
 
 
 
 

 

.